top of page

B3: saída de capital estrangeiro assusta, mas não é anormal, dizem analistas



Do início do mês até a última segunda-feira (14), o fluxo de capital estrangeiro na bolsa brasileira foi de R$ 7,377 bilhões negativos. O movimento de retirada acaba coincidindo com a redução da taxa básica de juros em 0,50 pontos percentuais (p.p.), a 13,25% ao ano – decidida pelo Copom (Comitê de Política Monetária) no dia 2 de agosto. No entanto, analistas declaram se tratar de um comportamento natural.


Para Carla Beni, economista e professora de MBAs da FGV (Fundação Getulio Vargas), a saída dos investidores estrangeiros da bolsa nesse curto período é mais um reflexo de um ajuste do período de realizações de lucros, ou de movimentações da economia americana, do que uma resposta à redução da Taxa Selic.


“O Brasil tem a maior taxa real de juros do mundo, então, o corte da Selic não causa esse reflexo. Os estrangeiros não estão indo embora porque a taxa de juros foi reduzida”, disse a professora.


bottom of page