top of page

Pet Gastos

"Onde" termina a necessidade e começa o desejo?

No mês passado trabalhamos informações para montar seu orçamento. Neste mês quero me ater a uma dificuldade muito comum, em relação aos gastos dos nossos animais domésticos, ou ‘filhos de quatro patas’. "Onde" termina a necessidade e começa o desejo?


Sabendo que comprar ou adotar é opção, mas cuidar é obrigação, farei aqui algumas observações financeiras e questionamentos, com relação à seguinte questão: Como separar os gastos necessários para a saúde do seu animal, dos mimos e supérfluos, que inventaram que precisamos ter, para que seu ‘filho’ seja feliz?


O prazer de conviver com um animal de estimação é inenarrável. Hoje eu me derreto com meus 2 rottweilers, África e Âmbar, e levei anos para superar as perdas dos meus dois amores: Rodin e Leopoldo. Todavia, isto não significa que não temos gastos com eles, e que fazer contas faz parte do processo.


Ao longo da vida dos nossos pets amados, dependendo do porte e do tempo de vida deles, os gastos estimados vão desde R$50.000,00 a R$100.000,00. Sendo assim, para cada animal que colocamos dentro de casa, pesa a consciência de sermos donos responsáveis,


implicando numa despesa mensal que deve ser computada no seu orçamento.


O universo pet mudou radicalmente nos últimos 20, 30 anos, não só no conteúdo como na forma. Os animais fazem parte da família e isto é uma mudança maravilhosa, mas quais são os gastos básicos que um animal necessita para uma vida saudável? Ração, casinha, coleira, potes para água e alimentos, banhos, vacinas, vermífugos, antipulgas e veterinário.


No primeiro ano de vida os gastos são maiores com vacinas, castração, treinamento e eventuais destruições pela casa. A escolha de um filhote, em vez de um adulto, implicará em mais gastos.


No decorrer da vida do animal os gastos podem subir às alturas, dependendo do quanto o dono deseje mimar ou suprir suas próprias carências. Trocar a coleira durante o crescimento do animal é algo natural, mas comprar a coleira mais cara para seu filhote de 3 meses, não parece ser uma sábia decisão.


Ter uma roupa para os dias mais frios pode ser uma necessidade, dependendo da raça e local de moradia, mas ter um armário de roupas para postar nas redes sociais, não é financeiramente uma boa decisão.


Brinquedos e atividades físicas são importantes, mas seu pet não precisa de algo importado para se alegrar, um improviso com tubos de papel ou garrafas pet farão a mesma festa. Pagar variação cambial na ração e brinquedos, recebendo salário em reais, não parece ser uma boa decisão financeira.


Petiscos fora de hora são uma diversão, eu particularmente adoro reforçar comportamentos positivos com eles. Substituir os industrializados por um pedaço de maçã, cenoura, banana ou beterraba pode ser mais saudável e economicamente incomparável. Consulte seu veterinário.


Os banhos e higiene com tosas são necessários, mas a periodicidade é mais uma crença do que uma realidade, em muitos casos. Será que seu pet precisa mesmo tomar banho toda semana? E passar perfume? E laços? Roupas e gravatas? Esticar este prazo para 15/20 dias, ou até 1 mês pode ser, além de menos estressante para o animal, mais econômico para seu orçamento.


Entre uma coleira nova ou sua presença, seguramente seu pet escolherá a companhia de estar com você. Cuidar das suas despesas também é um ato de amor. A velhice do seu ‘filho’ será muito custosa, prepare-se para ela.


Beijos monetários e até a próxima!


www.revistasouldigital.com.br








Comments


bottom of page